MilitaresBrasil-

23/09/2016 - Exército expulsa militares presos com drogas

Os três militares de Campo Grande presos em São Paulo com três toneladas de maconha serão expulsos por violarem a ética e o decoro exigidos para os profissionais com carreira no Exército Brasileiro. 

por meio de nota, 
O CMO (Comando Militar do Oeste) divulgou a informação na tarde desta terça-feira (27).  Militares presos com 3 t de maconha eram investigados há 3 meses. A ordem para a exclusão dos cabos foi publicada hoje, após a conclusão da sindicância instaurada para apurar a conduta dos militares que foram flagrados na rodovia Anhanguera, em Campinas, interior de São Paulo. “Ficou comprovado que os três militares violaram os preceitos da ética militar, da honra pessoal, do pundonor militar e do decoro da classe”,
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

07-SETEMBRO - DIA DA INDEPENDÊNCIA


Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

05/09/2016 - Oficial do Exército perde posto e patente após ter sido condenado por estupro de menor

O Superior Tribunal Militar (STM) declarou indigno um oficial do Exército e determinou a perda de seu posto e de sua patente, nesta segunda-feira (5). O tenente do Exército foi condenado na Justiça Comum à pena de dez anos de reclusão, por estupro de uma menor.
No STM, o acusado, já aposentado, respondeu a uma ação de representação para declaração de indignidade para o oficialato e perdeu, inclusive, o direito de receber seus salários.
O militar está preso à disposição da Justiça Comum no 31º Batalhão de Infantaria Motorizado, em Campina Grande (PB). Em 2010, segundo os autos, o militar passou a assediar uma menor de idade, moradora de rua. Ele a levou para passear e depois para sua residência, onde a obrigou a manter relações sexuais.
Para conseguir molestá-la sexualmente, o oficial do Exército, sabedor da condição social da família da vítima de adolescente carente, ofereceu presentes, bem como dinheiro para a mãe dela, em troca das saídas com a menor, conforme destacou a sentença condenatória. Pela prática do crime de estupro de vulnerável, o militar foi condenado, por decisão já transitada em julgado no juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da Comarca de Campina Grande/PB, em regime inicialmente fechado.
Por isso, o Ministério Público Militar, “em virtude de práticas sórdidas e condutas na contramão dos preceitos éticos e morais mais caros à sociedade e às Forças Armadas”, representou contra o tenente junto ao STM e suscitou o previsto no inciso VI do § 3º do artigo 142 da Constituição Federal, para declarar o militar indigno do oficialato. A Constituição Federal, no artigo 142, diz que o oficial só perderá o posto e a patente se for julgado indigno do oficialato ou com ele incompatível, por decisão de tribunal militar de caráter permanente, em tempo de paz, ou de tribunal especial, em tempo de guerra. 
O Ministério Público pediu também no processo que, se fosse declarada a indignidade para o oficialato, o Tribunal declarasse a não recepção do artigo 20 da Lei nº 3.765/60 pela Constituição da República de 1988. O artigo dispõe que “o oficial da ativa, da reserva remunerada ou reformado, contribuinte obrigatório da pensão militar, que perde posto e patente, deixará aos seus herdeiros a pensão militar correspondente”. 
Subsidiariamente, postulou a acusação que se não fosse declarada a não recepção do artigo 20, que a pensão militar deixada pelo acusado, ou ao menos parte dela, fosse repassada à vítima, como forma de parcial compensação dos danos causados. 
Por outro lado, a defesa do tenente pediu o indeferimento da representação e a manutenção do posto e da patente do tenente, sustentando que expulsar o oficial da Força seria condená-lo novamente pelo mesmo crime que supostamente cometeu. Argumentou também que o acusado é idoso e encontra-se com diversas enfermidades, necessitando de ajuda para cumprir as suas atividades mais simples e que, pelos problemas de saúde, ele não contou a ninguém que o processo criminal que levou a sua condenação tramitava em seu desfavor, não chegando sequer a contratar advogado, o que prejudicou a sua defesa.
Julgamento no STM 
Ao analisar a representação do Ministério Público, o ministro Lúcio Mário de Barros Góes votou por declarar a indignidade e pela perda do posto e da patente do oficial. O ministro informou que o representado conheceu a vítima quando ela estava pedindo esmola na rua, passando, posteriormente, a frequentar a sua residência. “Na hipótese em exame, não há dúvida de que a ética foi profundamente abalada com o proceder do oficial. Os fatos ensejadores da resposta penal dão a moldura subjetiva imprescindível, traduzindo a reprovação de sua conduta e tornando inconciliável a posição do sentenciado com o oficialato” afirmou, dizendo que o Tribunal tem atuado com rigor no sentido de declarar a indignidade de oficiais que se envolvem em crimes dessa natureza. 
Quanto ao argumento da defesa de que expulsar o Representado da Força seria condená-lo novamente pelo mesmo crime, o relator esclareceu que a ação de declaração de indignidade para o oficialato é decorrência da garantia constitucional e refutou a tese de enfermidade apresentada pelo acusado.
“Não consta nos autos qualquer documento que comprove que o representado, à época dos fatos, apresentava qualquer problema de saúde que o incapacitasse de entender a ilicitude dos fatos praticados, fazendo crer que, no momento em que cometeu o crime, tinha potencial consciência dos atos perpetrados contra a menor, tanto que foi condenado, na esfera criminal, a dez anos de reclusão, já tendo ocorrido o trânsito em julgado da Sentença”.
O ministro destacou que, na ação de representação, não cabe mais discutir e analisar as questões próprias do processo-crime, nem tampouco os problemas de saúde do oficial levantados pela defesa. Ademais, disse o ministro Lúcio Barros, relevante sim é a coisa julgada, tornando imutável a sentença condenatória, que deu por encerrada qualquer discussão em torno do mérito ou de formalidades processuais, que só poderão ser questionadas através de ação revisional, no juízo competente, depois de atendidas as formalidades legais.
Sobre o pedido de se repassar os proventos da aposentadoria em favor da vítima, o Plenário reconheceu a incompetência desta Justiça Militar da União na apreciação da matéria: a JMU julga apenas ações penais e não matéria de natureza administrativa inerente a pagamento a beneficiários de pensão militar.
Por unanimidade, os ministros do Tribunal acompanharam o voto do relator, para declarar o oficial indigno para o oficialato e declarar a perda de posto e patente. fonte: STM
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

05/09/2016 - Incêndio destroí instalação de quartel em porto murtinho

Pavilhão de quartel em Porto Murtinho -Ms, 2ª Companhia de Fronteira foi destruído e boato é que militar ateou fogo. Inquérito policial foi instaurado para apurar as causas do ocorrido. Todo o telhado de um dos pavilhões do prédio da 2ª Companhia de Fronteira do Exército Brasileiro, localizada na cidade de Porto Murtinho, ficou destruído pelo fogo que atingiu o local na manhã de hoje, e terá que ser trocado. Além do almoxarifado, o auditório também foi atingido pelas chamas. De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros na cidade, major Muniz, o local atingido corresponde a uma área de 800 metros quadrados. Equipamentos do auditório foram retirados antes da chegada do fogo. “Foi possível retirar cadeiras, data show e computadores do auditório. As cortinas foram consumidas pelas chamas”, explicou Muniz. Foram utilizados aproximadamente 15 mil litros de água para combater o incêndio que durou cerca de 1h30min. Prejuízos financeiros ainda estão sendo levantados.

 BOATO Circula entre grupos de Whatsapp que o incêndio foi criminoso. Boatos apontam que revoltado, um dos militares teria colocado fogo propositalmente no local. Porém, a informação não foi confirmada oficialmente. Por meio de nota oficial à imprensa o Comando Militar do Oeste (CMO) informou que foi aberto inquérito policial para apurar as causas do incêndio que destruiu o prédio do almoxarifado da unidade, na manhã de hoje. fonte:correiodoestado.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/08/2016 - NOTA À IMPRENSA - OCORRÊNCIA ENVOLVENDO CAMINHÃO DO EXÉRCITO

ATUALIZADO - NOTA À IMPRENSA DE 29/08/2016 A respeito da ocorrência policial envolvendo militares do Exército na cidade de Campinas-SP, em 28 de agosto, o Centro de Comunicação Social do Exército informa o que se segue: Todos os fatos estão sendo apurados por meio de Inquérito Policial Militar (IPM), instrumento legal a ser utilizado quando da configuração de crime militar, que foi instaurado pelo Comando do 20º Regimento de Cavalaria Blindado (20º RCB), sediado em Campo Grande/MS, organização na qual os militares estão lotados. Todo o procedimento está sendo acompanhado pelo Ministério Público Militar. Ao mesmo tempo, o Exército Brasileiro encontra-se em perfeita sintonia com os Órgãos de Segurança Pública do Estado de São Paulo que conduzem um inquérito Civil, para a completa elucidação dos fatos. Tão logo estejam concluídos os inquéritos militar e civil, ou mesmo antes, os militares serão expulsos do Exército Brasileiro e encaminhados aos Órgãos competentes, já que paralelamente aos processos citados, está sendo instaurado um procedimento administrativo, no qual serão respeitados os princípios do contraditório e da ampla defesa. Reitera-se que o Exército Brasileiro não admite condutas que afrontem seus valores e princípios, sustentáculos da nossa Força. NOTA À IMPRENSA DE 28/08/201 OCORRÊNCIA ENVOLVENDO CAMINHÃO DO EXÉRCITO A respeito da ocorrência policial envolvendo militares do Exército na cidade de Campinas-SP, em 28 de agosto, o Centro de Comunicação Social do Exército informa o que se segue: 1. Por volta de 1:40h, do dia 28 Ago 2016, os Cabos do Exército Brasileiro Higor Abdala Costa Attene e Maykon Coutinho Coelho, lotados no 20º Regimento de Cavalaria Blindado (20º RCB), sediado em Campo Grande/MS, foram presos pela Polícia Civil do Estado de São Paulo, na Região de Campinas/SP, quando transportavam substância entorpecente, dentro de um caminhão do Exército. Durante a abordagem policial, o Cabo Simão Raul, também do 20º RCB, conseguiu evadir-se do local, mas foi capturado em seguida. 2. O Exército Brasileiro não admite atos desta natureza, que ferem os princípios e valores mais caros sustentados pelos integrantes da Força. Diante da gravidade do fato, que desonra a Instituição e atinge a nossa sociedade, os militares encontram-se presos e serão expulsos do Exército. Foi instaurado um Inquérito Policial Militar para a apuração de todos os fatos e responsabilidades. 3. O Exército Brasileiro agradece, desde já, o eficiente trabalho dos órgãos de segurança pública do estado de São Paulo, colocando-se à disposição para apoiar as investigações na busca do rigoroso esclarecimento das circunstâncias que envolveram a ocorrência policial. 4. A Força Terrestre procederá minuciosa investigação na Organização Militar de onde os militares e a viatura são oriundos, com o objetivo de corrigir procedimentos de segurança, para que falhas desta natureza não voltem a ocorrer.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

28/08/2016 - Militares de MS são presos com três toneladas de maconha em São Paulo

Dois cabos do 20º Regimento de Cavalaria Blindado de Campo Grande foram presos depois de serem flagrados transportando três toneladas de maconha em caminhão do Exército Brasileiro, na madrugada de hoje, em Campinas. 
Militares foram identificados como Higor Abdala Costa Attene e Maykon Coutinho Coelho. 
Flagrante aconteceu na rodovia Anhanguera. Durante abordagem, houve confronto e troca de tiros entre os militares e policiais do Departamento de Combate às Drogas (Denarc).
Outro cabo que participava da ação conseguiu fugiu e foi encontrado na Santa Casa de Limeira. Ele foi ferido no tiroteio.
Além dos militares, outros dois civis auxiliavam no transporte de drogas em um Fiat Uno e também foram presos.
De acordo com informações da Polícia Civil, droga saiu de Mato Grosso do Sul e seria entregue na região de Campinas. Inquérito será aberto para investigar o caso.
À tarde, polícia divulgará detalhes sobre o caso em entrevista coletiva.
Em nota, o Comando Militar do Oeste (CMO) informou que será instaurado Inquérito Policial Militar (IPM) para a apuração dos fatos e que o caso terá prioridade máxima. fonte: correiodoestado


 o Exército confirmou que os cabos envolvidos são:  Higor Abdala Costa Attene e Maykon Coutinho Coelho e que o caminhão pertence ao 20º Regimento de Cavalaria Blindado. O caso, segundo a instituição, terá prioridade máxima para "elucidação dos fatos, bem como para a rigorosa aplicação da lei dos regulamentos ".
PRISÃO
Flagrante aconteceu na rodovia Anhanguera. Durante abordagem, houve confronto e troca de tiros entre os militares e policiais do Departamento de Combate às Drogas (Denarc).
Outro cabo que participava da ação, identificado como Simão Raul, conseguiu fugir e foi encontrado na Santa Casa de Limeira. Ele foi ferido no tiroteio.
Além dos militares, outros dois civis auxiliavam no transporte de drogas em um Fiat Uno e também foram presos.
De acordo com informações da Polícia Civil, droga saiu de Mato Grosso do Sul e seria entregue na região de Campinas. Inquérito será aberto para investigar o caso.
À tarde, polícia divulgará detalhes sobre o caso em entrevista coletiva.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

23/08/2016 - Mantida a absolvição de Fuzileiro Naval acusado de ofensa às Forças Armadas. Críticas não ofendem, diz relator

O Superior Tribunal Militar (STM) manteve a absolvição de um soldado fuzileiro naval, denunciado pelo Ministério Público Militar, pelo crime de ofensa às Forças Armadas. Ele teria maculado a imagem da Marinha, ao denunciar o uso de um caminhão pipa para a lavagem de pisos e calçadas, a uma emissora de TV, na cidade de Natal (RN). De acordo com denúncia do Ministério Público, em julho de 2013, foi exibida uma reportagem no programa de televisão Jornal do Dia da TV Ponta Negra, filiada ao Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), contendo imagens internas da sede do Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal, além de notícia de irregularidades supostamente cometidas pela administração daquela organização militar. Na reportagem, foram exibidas imagens de militares utilizando água de um caminhão pipa para lavar o chão do quartel. O entrevistado informava na reportagem que seis ou sete caminhões teriam sido disponibilizados pela Defesa Civil para o combate à seca, mas que não estavam tendo a devida destinação. Na mesma reportagem, o chefe de Comunicação Social da Marinha do Brasil em Natal (RN) rebateu as acusações, dizendo que devido aos efeitos da corrosão, após certo período de armazenamento, a água se torna imprópria para ingestão. Em vez de ser descartada, a água era utilizada para limpeza. Para o Ministério Público, os fatos filmados e divulgados pelo réu eram inverídicos e que foram “produzidas e encaminhadas à emissora de televisão com o único fim de ofender a dignidade da Marinha e abalar o crédito de que a Força Naval merece do público” e denunciou o acusado junto à Justiça Militar da União, pelo crime previsto no artigo 219 do Código Penal Militar (CPM). No julgamento de primeira instância, na Auditoria de Recife, o militar foi absolvido pelo Conselho Permanente de Justiça. Inconformada com o desfecho, a promotoria resolveu recorrer ao Superior Tribunal Militar (STM), em Brasília. Ao analisar o recurso de apelação do Ministério Público Militar, o ministro Francisco Joseli Parente Camelo negou provimento e manteve a absolvição do ex-militar. Para o ministro, o delito disposto no artigo 219 do CPM visa tutelar a honra objetiva das Forças Armadas, o respeito, o prestígio e a confiança nela depositados pela sociedade brasileira, em face da destinação relevante que lhe reserva a lei e que qualquer pessoa pode ser considerada sujeito passivo do delito de difamação, não importando se pessoa física ou jurídica. Ainda de acordo com o relator, em que pese o fundado interesse da promotoria na modificação do julgado, a fim de obter a condenação do ex-soldado, as circunstâncias que envolveram os fatos não deixam delineadas, de modo incontroverso, a intenção do réu em macular a dignidade ou abalar o crédito das Forças Armadas, tampouco demonstraram que o acusado tinha real conhecimento das atividades desenvolvidas no quartel, e declaradas à emissora TV Ponta Negra. “Conforme resulta da análise processual, as elementares, animus de ofender ou denegrir a honra e a boa fama da Marinha do Brasil e a noção de que os fatos propalados eram inverídicos, exigidas pela figura típica do artigo 219 do CPM não foram alcançadas. Primeiro, porque é cristalino o desconhecimento do acusado sobre a qualidade da água utilizada para lavar o chão da organização militar”, afirmou. Para o relator, o assessor de comunicação social da Marinha em Natal esclareceu que a água era imprópria para o consumo. Em vez de ser descartada, a água era utilizada para limpeza. “Sendo assim, o acusado não teria propalado um fato que soubesse ser inverídico, mas tão somente uma manifestação equivocada. Após a análise da reportagem, é possível concluir que o réu não teve a intenção de ofender a dignidade das Forças Armadas, na medida em que sua fala ateve-se tão somente a expressar sua indignação. Assim, sua conduta mostrou-se atípica”, fundamentou o ministro. Além disso, disse o relator, na reportagem, após as declarações do acusado, foram exibidas as explicações do chefe de Comunicação do 3º Distrito Naval sobre as supostas irregularidades que estariam ocorrendo. “Essas explicações foram suficientes para manter inabalada a confiança que a Marinha do Brasil merece da população brasileira, afastando qualquer possibilidade de abalo do crédito das Forças Armadas junto ao telespectador” e citou a lição de Jorge César de Assis, ao comentar o artigo 219 do Código Penal Militar: “Para a consumação do crime, é necessário que a inverdade propalada seja capaz de ofender a dignidade ou abalar o crédito das Forças Armadas ou a confiança que estas merecem do público, não bastando simples críticas, por este ou por aquele fato envolvendo as instituições militares”. Por unanimidade os demais ministros do STM acompanharam o voto do relator.fonte:STM
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

04/08/2016 - Sargento do Exército morre após acidente na Epia Sul

Um sargento do Exército Brasileiro morreu após se envolver em uma colisão com um caminhão, na Epia Sul, nas proximidades da Rodoviária Interestadual, por volta das 8h desta quarta-feira (3), no sentido Plano Piloto. Yuri do Prado Guimarães estava a bordo de uma motocicleta. O condutor do caminhão não necessitou de atendimento médico. O helicóptero do Corpo de Bombeiros foi acionado para fazer o resgate. No entanto, a vítima morreu ainda no local do acidente. Conforme a corporação, três equipes de emergência médica foram mobilizadas para o socorro, com os melhores recursos disponíveis. O trânsito no local teve de ser completamente bloqueado no momento do atendimento e permanece complicado, com velocidade média de 15km/h. A Polícia Militar supervisiona o tráfego. fonte:jornaldebrasilia

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

27/07/2016 - EB veta ensaio da esgrimista Amanda Simeão para a Playboy

Os planos da revista "Playboy" de ter a esgrimista Amanda Simeão, de 22 anos, nas páginas da edição de agosto foram por água abaixo. Como a jovem também é 3ª sargento do Exército, a Força Armada vetou o ensaio sensual dela. "Nós a convidamos e ela queria, mas infelizmente não pôde participar porque o Exército não liberou", informa a assessoria de imprensa da publicação ao EGO.
Amanda Simeão não seria a capa de agosto da "Playboy". Seu ensaio seria secundário na edição, mas viria com status de musa da Olimpíada Rio 2016. As fotos não teriam nudez explícita e, em alguns cliques, ela até apareceria com uma daquelas máscaras usadas em lutas de esgrima. Procurado, o Exército não se pronunciou sobre o assunto até a publicação desta matéria.
Nascida em Curitiba (PR), Amanda é titular da Seleção Brasileira de Esgrima, na categoria Espada, e já vai ter competição na Olimpíada em 6 de agosto, um dia após a cerimônia de abertura dos Jogos. No último Pan, em 2015, em Toronto, no Canadá, ela conquistou a medalha de bronze por equipes. (Foto: Reprodução/Instagram. fonte:tribunahoje


Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

27/07/2016 - No Rio, avião da Marinha cai no mar durante treinamento

A Marinha confirmou agora na tarde desta terça-feira, 26, um acidente com avião caça, modelo AF-1B. O piloto precisou se ejetar e está sendo procurado pelo Corpo de Bombeiros. A aeronave caiu no mar, próximo à cidade de Saquarema, na região dos lagos, cerca de 100 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro.
A Marinha informou que faz as buscas pelo piloto a poucas milhas da costa e está apoiando a família do militar, informou, em nota enviada à imprensa.
O acidente é o segundo no Rio de Janeiro, em menos de um mês e aconteceu quando a aeronave retornava de exercícios. As causas do ocorrido ainda estão sendo investigadas.
O Corpo de Bombeiros, que também emitiu nota sobre o ocorrido, informou que uma segunda aeronave que participava do mesmo treinamento conseguiu pousar.
No inicio de julho, outro avião caça F5-FM Tiger da Força Aérea Brasileira (FAB) caiu na Base Aérea de Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro. Os dois pilotos que estavam na aeronave conseguiram se ejetar da cabine, e, com ajuda de um paraquedas, aterrissar em segurança.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

27/07/2016 - Militar que sofre acidente em serviço não pode ser dispensado, decide TRF-3

http://militaresbrasil.blogspot.com.br/Militar que sofre acidente em serviço não pode ser dispensado, mesmo que seja temporário. Pelo contrário: ele deve continuar recebendo remuneração e tratamento médico-hospitalar. Com esse entendimento, a 2ª Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (SP e MS) determinou a reintegração de um militar às fileiras do Exército Brasileiro no Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva. Ele havia sido afastado depois de sofrer um acidente de moto em serviço, que o fez ser classificado como incapaz. Segundo a corte, perícia médica no joelho direito do autor constatou que o acidente foi provocado durante o trabalho nas Forças Armadas, ao contrário do que alegava a União. “O apelado, quando ingressou no Exército Brasileiro, gozava de boas condições de saúde. Caso contrário, não lograria ser aprovado para o Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva. Há mais elementos probatórios no sentido de a lesão no joelho direito ter ocorrido em decorrência do acidente, especialmente o laudo pericial”, disse o relator do processo, o desembargador federal Cotrim Guimarães. Em primeira instância, a 2ª Vara Federal de Campo Grande (MS) havia julgado procedente o pedido inicial, baseada nas conclusões do laudo da perícia — de que há relação de causalidade entre o acidente sofrido em serviço e a lesão no joelho direito. A decisão também havia determinado a reintegração do autor às fileiras do Exército Brasileiro, com direito ao posto anteriormente ocupado e à remuneração correspondente, inclusive a devida desde o licenciamento. A 2ª Turma, ao ratificar a sentença, seguiu jurisprudências do próprio tribunal e do Superior Tribunal de Justiça que reconhecem o direito ao militar temporário, declarado temporariamente incapaz para o meio militar e ilegalmente desligado, ser reintegrado como adido para receber tratamento médico-hospitalar, sem prejuízo do recebimento das remunerações em atraso. O relator justificou que, segundo a perícia, o acidente de motocicleta pode, a depender da queda, afetar outras partes do corpo que não o joelho. Ele afirmou também que não havia nos autos elementos fático-probatórios hábeis para concluir pela anterioridade da lesão ao ato de incorporação, como queria a União. Por unanimidade, a 2ª Turma do TRF-3 determinou ainda o pagamento de juros de mora e correção monetária ao autor, fixados com base na legislação vigente à época do acidente em serviço com motocicleta do militar. Com informações da Assessoria de Imprensa do TRF-3. Processo 0006393-80.2008.4.03.6000. fonte: conjur
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

24/07/2016 - Tenente do Exército morre em acidente ao colidir carro


Tenente do Exército morre em acidente na Estrada da Ponta Negra. Manaus – O tenente do Exército Sebastião Borges Gonçalves França, de 24 anos, morreu, na manhã deste domingo (24), após o carro dele, um Ônix de cor branca e placa PHT 3140, colidir com uma árvore, na Avenida Coronel Teixeira, Estrada da Ponta Negra, sentido bairro-Centro, próximo ao Ministério Internacional da Restauração. Segundo informações do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), o acidente ocorreu às 6h20. O supervisor da área oeste, Aguinaldo Lima, informou que a vítima estava sozinha e morreu no local. Uma tia da vítima, que não quis se identificar, disse que o tenente morava no Centro e que a família dele é de São Gabriel da Cachoeira. No local, a perícia foi feita pelo Instituto. fonte: Do d24
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

19/07/2016 - SARGENTO DO EXÉRCITO É ASSASSINADO EM GARANHUNS

Um sargento do 71 BI MTz foi encontrado assassinado na madrugada desta segunda-feira (18), nas imediações da Fazenda Fójos, as margens da rodovia BR-423, no município de Garanhuns, Agreste pernambucano. A vítima foi identificada como, José Fábio da Silva Araújo, morador da cidade de Belo Jardim no Agreste pernambucano. O corpo dele apresentava uma perfuração provocada por disparo de arma de fogo na orelha direita. Sargento Fábio era integrante da banda de música do batalhão onde tocava a pouco mais de um ano. A polícia informou que a vítima possuía porte de arma mais não estava armado, no local compareceram as policias Civil e Militar. O corpo foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML), em Caruaru/PE. O caso será investigado pela 22ª Delegacia de Homicídios de Garanhuns, até o momento não há informações da autoria do crime. O Comando do 71 BI emitiu uma nota em que lamenta a morte do sargento. 

 NOTA DE FALECIMENTO.
 É com enorme pesar que o Comando do 71º Batalhão de Infantaria Motorizado (71º B I Mtz) comunica o falecimento, do 3º Sargento JOSÉ FÁBIO DA SILVA ARAÚJO, de 37 anos de idade, vítima de um suposto homicídio. O Batalhão foi informado do ocorrido pela Polícia Civil na madrugada do dia 18 de julho de 2016, por volta de 01h, que o 3º Sargento FÁBIO havia sido encontrado morto, por volta das 18h, do dia 17 de julho de 2016 (domingo), às margens da BR 423, no município de Garanhuns, com um ferimento no ouvido direito, supostamente provocado por disparo de arma de fogo. O Batalhão iniciou os procedimentos administrativos cabíveis a fim de apurar o ocorrido, bem como se solidariza com a perda do estimado militar e informa que está prestando todo o apoio necessário aos seus familiares. LUIZ DUARTE DE FIGUEIREDO NETO – Tenente Coronel Comandante do 71º Batalhão de Infantaria Motorizado. fonte: agresteviolento
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

14/07/2016 - Marinha cassa condecorações de Genuíno e Dirceu

Marinha se revolta e cassa condecorações de Genuíno e Dirceu: 'aqui não tem bandido' Após condenação no Mensalão, petistas e outros nomes perderam direito de honra ao mérito. Nada de homenagens. O Comando da Marinha decidiu voltar atrás com decisões dadas no passado. De acordo com o jornal 'O Globo', em reportagem publicada nesta quarta-feira, 13, a entidade das Forças Armadas brasileiras decidiu cassar a condecoração de Ordem no Mérito Naval de cinco cidadãos brasileiros. Todos eles são bastante conhecidos de todos nós. Eles deixaram de ter qualquer mérito depois que foram condenados pelo 'Mensalão', maior esquema de corrupção durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT). A lista trás os homens que perderam a homenagem justamente por conta de suas ações. São eles José Genuíno, José Dirceu, Valdemar Costa Neto, João Paulo Cunha e Roberto Jefferson. Todos eles com forte atuação da câmara dos deputados e também no próprio governo. Roberto Jefferson, por exemplo, ficou conhecido por dedurar os colegas. Depois do período complicado, ele retorna aos poucos para a vida política. De acordo com o jornal 'O Globo', a exclusão dos nomes condenados já foi publicada no Diário Oficial da União. Em grupos no Facebook, muitos militares da ativa e da reserva comemoraram a decisão. "Aqui não tem bandido", disse um deles mais revoltado com o fato das personalidades já terem sido condecoradas no passado. Quem assinou a exclusão foi Eduardo Bacellar Leal Ferreira, Comandante da Marinha. A decisão das Forças Armadas atende a uma solicitação de Rodrigo Jato, procurador-geral da república. O pedido feito em maio deste ano só agora ganha forma física. Os cinco agraciados agora estão proibidos de citarem as condecorações em seus currículos. A exclusão dos nomes dos políticos é baseada em um decreto do governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. Em 2000, o tucano assinou a legislação que fala sobre a exclusão automática de honras ao mérito quando a condenação existir, seja ela em qualquer foro for. Ou seja, não seria necessário o aval, por exemplo, do Supremo Tribunal Federal (STF). Em 2013, Genoino, Jefferson e Valdemar já haviam perdido a condecoração Medalha do Pacificador. Essa é uma premiação dada pelo Exército brasileiro.fonte: blastingnews
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

06/07/2016 - Suspeito de matar médico do '28 de Agosto' no AM é soldado do Exército

O soldado do Exército Brasileiro Igor Mateus Negrão e Silva, de 19 anos, suspeito de matar o médico Emerson Rios Sena, de 56 anos, confessou o crime, de acordo com a polícia. O jovem está detido desde a tarde desta quarta-feira (6) na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).
 A Polícia Civil divulgou imagens do circuito interno de segurança do prédio onde o médico morreu, situado no Parque das Laranjeiras, na Zona Centro-Sul de Manaus. Após a divulgação, denúncias feitas à especializada informaram sobre o paradeiro do suspeito.
"Depois que as imagens foram veiculadas nós recebemos uma série de informações, inclusive sobre o paradeiro dele. Nos deslocamos e o detemos", disse Ivo Martins, titular da DEHS.
Ele confirmou a autoria do crime, de acordo com o delegado. "No começo [do depoimento] ele confirmou que estava presente efetivamente no local, mas passou a omitir as informações e negou. Conversamos um pouco, o confrontamos com evidências e ele resolveu contar a verdade e deu detalhes", completou Ivo. Ao G1, o CMA informou que o suspeito era soldado do efetivo variável do Exército e foi incorporado em março deste ano. Ele ficará detido no Parque de Manutenção 12. Segundo o Comando, militares da polícia do Exército o reconheceram nas filmagens e o conduziram até a DEHS. O CMA ainda deve se pronunciar oficialmente sobre o caso. Mais informações sobre o crime devem ser repassadas em coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (7). Emerson tinha 56 anos e trabalhava no Hospital 28 de Agosto (Foto: Arquivo Pessoal) Emerson tinha 56 anos e trabalhava no Hospital 28 de Agosto 
(Foto: Arquivo Pessoal) Vídeo A polícia conta que o suspeito ligou para o médico, que não estava em casa, do telefone da portaria. Uma hora depois, o médico chega ao local e, em seguida, os dois seguem para o apartamento, onde o corpo do homem foi encontrado. As imagens mostram que o rapaz deixou o local às 16h38 do mesmo dia, trajando outra roupa. O delegado diz que o criminoso, após o crime, tomou banho e mudou de vestimenta. A bermuda e camisa, além de um par de sandálias, usadas por ele, foram deixadas ensanguentadas no local do crime. Ao sair do apartamento, o rapaz seguiu para a portaria e pediu por um táxi. O suspeito desistiu do táxi e pegou um mototáxi. Nenhum objeto de valor foi roubado da casa. Crime O corpo do médico do Hospital 28 de Agosto, achado morto em seu apartamento, no bairro Parque das Laranjeiras, Zona Centro-Sul de Manaus, foi velado na manhã de terça-feira (5). Emerson Rios Sena, de 56 anos, estava com marcas de violência. Ele levou uma facada no pescoço e outra no braço. Segundo informações da Polícia Civil, o médico foi encontrado morto pelo irmão na manhã desta segunda-feira (4). fonte: Jamile AlvesDo G1 AM*, *(Colaborou Rickardo Marques, do G1 Amazonas)
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

05/07/2016 - Avião da FAB cai durante treinamento no Rio e pilotos saem ilesos

Um avião caça F5-FM Tiger da Força Aérea Brasileira (FAB) caiu hoje (5), no início da noite, na Base Aérea de Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro. O acidente ocorreu às 18h40, durante um voo de instrução. Os dois pilotos que estavam na aeronave conseguiram se ejetar da cabine, e, com ajuda de um paraquedas, aterrissar em segurança. A tripulação realizava um voo local de treinamento e estava em fase de aproximação final, quando foi detectada uma falha que não permitia o pouso em segurança. A ejeção ocorreu de forma controlada, com a aeronave direcionada a uma região desabitada. O coronel-aviador da assessoria de Comunicação Social da FAB em Brasília, Rogelio Azevedo Ortiz, disse que, após a detecção da falha, todos os procedimentos técnicos previstos foram tomados, mas como não foi possível reverter a situação, “foi necessária a ejeção dos pilotos”. Segundo Ortiz, a aeronave do acidente está em plenas condições de voo e a FAB espera mantê-la em operação por mais alguns anos. “Com certeza, posso afirmar que todas as revisões estavam realizadas dentro do previsto.” Equipes de investigação da Aeronáutica estão no local para apurar o que determinou o acidente.foto:FAB fonte:  agenciabrasil
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

04/07/2016 - Oficiais do exército se acidentam na estrada próximo ao Balneário Menk

Um acidente na estrada de terra que dá acesso ao balneário Menk, cerca de 35 quilômetros da área urbana de Corumbá, mobilizou uma guarnição dos bombeiros para o atendimento. O acidente ocorreu por volta das 14h20 do sábado (02), chegando ao local os militares encontraram dois homens já fora do carro acidentado um Toyota Etios da cor preta, L.F.M 25 anos e A.F.A de 24 anos. O carro subiu no barranco e ficou inclinado na cerca. A dupla sem lesões aparentes, recusaram o atendimento dos bombeiros e se identificaram como oficiais médico do exército Brasileiro. 

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

02/07/2016 - Soldado Exército morre após colidir motocicleta contra cavalo no Acre

O soldado do Exército Geovane Almeida da Silva, de 26 anos, morreu neste sábado (2), após colidir a motocicleta que pilotava contra um cavalo. O acidente ocorreu na Estrada Variante, no município acreano de Cruzeiro do Sul, distante 648 quilômetros de Rio Branco. O dono do animal ainda não foi localizado.'Vimos a morte de perto', diz mulher após boi causar acidente em rodovia Segundo um amigo do militar, Gleisson de Araújo Ferreira, de 23 anos, que trafegava em outra moto e presenciou o acidente, o animal estava solto na via e depois sumiu pela mata. Ele reclama da escuridão na via pode ter ajudado para que o amigo não visse o animal na pista. “Nós estávamos voltando de uma loja de conveniência que fica no posto da Variante, quando o Geovane bateu no cavalo. Ele já caiu já sem vida. Foi um fato lamentável. Acho que não era para o animal estar solto na estrada. A via é escura e o animal também tinha cor escura. Fico triste, estava a uns três metros atrás dele”, lamenta. A testemunha disse ainda que o acidente poderia ter ocorrido com ele. “Se ele não bate no cavalo, eu batia. Lamento muito, pois perdi um grande amigo. Na variante não adianta botar só quebra-molas. É preciso iluminar e proibir que os donos de animais evitem deixá-los soltos na via”, finaliza. O corpo do soldado está sendo valado na casa de uma tia, localizada na Avenida Getúlio Vargas, bairro do Remanso e será sepultado no final da tarde deste sábado no Cemitério Jardim da Paz.fonte:  Adelcimar Carvalho- Do G1 AC
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

01/07/2016 - Cabo da Marinha é morto a tiros enquanto dirigia moto no Distrito Industrial

Fuzileiro foi alvejado durante a manhã por três homens em um veículo. Segundo a polícia, a vítima recebia ameaças de morte, no entanto, não há informações do motivo do crime. O caso será investigado pela Polícia Civil. O cabo fuzileiro naval Carlos Afonso Lopes de Gouveia, 28, foi morto a tiros na manhã desta quinta-feira (30). O crime ocorreu na avenida Mário Andreaza, Distrito Industrial, Zona Sul de Manaus. Segundo a polícia, a vítima recebia ameaças de morte. De acordo com a polícia, a vítima foi alvejada com seis tiros por volta das 9h. Segundo o capitão Harley Noronha, comandante da 7ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), a vítima foi perseguida por um carro de cor prata. Três homens estariam dentro do veículo. Ainda segundo a polícia, um dos suspeitos atirou contra o cabo, que dirigia uma moto. O disparo acertou o braço do militar, que caiu em seguida. Conforme a PM, o veículo parou próximo da vítima, e um dos suspeitos efetuou mais cinco disparos, que acertaram a cabeça e o tórax da vítima. De acordo com a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), a vítima recebia ameaças de morte, no entanto, não há informações sobre a motivação do crime. O caso será investigado pela Polícia Civil. Marinha abrirá processo A Marinha do Brasil, por intermédio do Comando do 9º Distrito Naval, informou que como o crime se trata da alçada da Justiça Comum, irá contribuir nas investigações realizadas pelos órgãos de segurança pública. " A Marinha do Brasil lamenta profundamente e informa que será instaurado um Processo Administrativo para apurar as circunstâncias e todo apoio necessário será dado aos familiares do militar", declarou. fonte: -acritica-Fábio Oliveira e Oswaldo Neto -Manaus (AM)
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

01/07/2016 - STM nega Habeas Corpus a tenente flagrado com fardamentos e equipamentos furtados do Exército

O Superior Tribunal Militar (STM) negou pedido de Habeas Corpus a um tenente do Exército flagrado com farta quantidade de equipamentos operacionais e fardamentos de uso exclusivo do Exército, durante uma patrulha da Polícia Militar, na cidade do Rio de Janeiro. 
O militar responde a uma ação penal militar pelos crimes de peculato-furto e de receptação culposa na 2ª Auditoria do Rio de Janeiro. Os equipamentos tinham sido furtados de um quartel do Exército.
Segundo os autos, no dia 12 de abril de 2013, por volta das 19h, o 1º tenente do Exército foi abordado por policiais militares do estado do Rio de Janeiro, após ser perseguido por estar dirigindo em zigue-zague, não obedecendo os sinais sonoros e luminosos da viatura da PM.
Durante a abordagem, os policiais militares constataram que, no interior do veículo conduzido pelo oficial, havia grande quantidade peças de fardamento e equipamentos operacionais de uso exclusivo do Exército, assim como um montante em dinheiro, que somou quase R$ 180 mil.
O militar foi conduzido para a 17ª Delegacia de Polícia e depois para o 1º Batalhão de Polícia do Exército, que abriu uma investigação. Em perícia, identificou-se que o tenente levava consigo 35 itens, como camisetas e camisas camufladas, conjuntos de uniformes camuflados, pares de coturnos, cantis, canecos, lanterna, porta-carregadores de fuzil, suspensórios operacionais, coldres, coletes balísticos e cassetete elétrico.
Os materiais foram identificados como adquiridos pelo Exército, através de contrato firmado pelo COLOG (Comando Logístico), no período de 2009 a 2011, e continham as inscrições “Exército Brasileiro, Uso Exclusivo do Exército Brasileiro e Venda Proibida”, além do Brasão do Exército Brasileiro.
Tanto na delegacia, como na sindicância e no inquérito policial, o denunciado afirmou que os materiais e equipamentos lhe pertenciam, pois foram adquiridos em lojas de artigos militares e outros recebidos quando foi cadete na AMAN (Academia Militar das Agulhas Negras), sendo que aproveitou que iria na confraternização do 1º Depósito de Suprimento, unidade militar que servira até alguns dias antes do fato, para buscar tais materiais.
As investigações descobriram que o tenente serviu no 1º Depósito de Suprimento (1º D Sup), no período de março de 2009 a setembro de 2012, onde exerceu atividades de aquisição, controle e distribuição de peças de fardamento e equipamentos: Chefe e Gestor da Seção e Depósito de Suprimento Classe II, Encarregado do Setor de Material e Auxiliar da Seção de Suprimento Classe II. E também que, no período em que o denunciado exerceu as funções chaves, o 1º D Sup recebeu grande quantidade de materiais e equipamentos oriundos do Escalão Superior (COLOG), para o fim de distribuição às unidades militares vinculadas à 1ª Região Militar.
Acusação
Na peça acusatória, os promotores denunciam que o militar aproveitou-se dessa condição determinante aliada ao fato de ser oriundo do Serviço de Intendência (ou seja, tinha conhecimento técnico sobre o assunto), teve acesso a tais materiais e subtraiu para si as peças de fardamento e equipamentos operacionais.
Os advogados do militar impetraram o pedido de Habeas Corpus junto ao STM com intuito de trancar a ação penal, por supostamente não ter havido crime. De acordo com a defesa, os fatos delitivos atribuídos ao oficial não contêm “os requisitos formais e materiais que legitimem a acusação”.
A defesa dele cita que o militar paciente foi conduzido à Delegacia de Polícia, após ser abordado pela Polícia Militar, em local fora da Administração Militar; que a autoridade policial liberou o paciente, após constatar a atipicidade de sua conduta e apreendeu-se os materiais em posse dele sem lavrar o respectivo termo de apreensão. “A denúncia é inepta, pois a descrição dos fatos não retrata as condutas de peculato ou de receptação, nem descreve claramente quem as teria praticado, padecendo de nulidade absoluta”, argumentou a defesa. 
Análise do Habeas Corpus
Ao analisar o pedido, o ministro relator Marco Antônio de Farias denegou a ordem.
Segundo o magistrado, restou comprovado que o denunciado aproveitou-se da condição de oficial de intendência e pelo exercício de funções atinentes ao controle e distribuição de materiais e subtraiu para si, no período compreendido entre 2009 e 2013, as peças de fardamento e equipamentos operacionais, de venda proibida e de uso exclusivo do Exército, pertencentes à Administração Militar. O ministro afirmou também que elementos probatórios do Ministério Público Militar sugere a ocorrência de crime militar, à qual a Justiça Militar deve se debruçar.
Ao contrário do que sustentam os Impetrantes, disse o relator, não se vislumbra tratar-se de denúncia inepta.
“Efetivamente, preencheu os requisitos estabelecidos no art. 77 do CPPM, dando ensejo ao seu recebimento, com a consequente instauração da APM. Convém destacar, no tocante à origem dos fatos, ser altamente suspeito possuir um oficial, no interior de seu veículo, por ocasião de abordagem em averiguação empreendida por policiais militares, grande quantidade de material militar (fardamentos e equipamentos) e de considerável valor em moeda corrente (cerca de R$ 171.800). Do contexto emerge, a possibilidade de ilicitude da posse daqueles valores e bens, haja vista a sua particular natureza e quantidade”, sustentou.
Ainda para o ministro, diferentemente do alegado do advogado, não se busca atribuir, gratuitamente, responsabilidade criminal ao denunciado.
“Com efeito, no bojo da formação do conjunto probatório será oportunizado o aprofundamento da análise do caso concreto, para ao fim, de forma isenta e imparcial, concluir pela culpabilidade do agente ou, por outro lado, pela sua inocência. Dessa forma, a circunstância de sujeitar o ora Paciente à APM não se coaduna com o pensamento de constituir a concretização de um juízo antecipatório de condenação”.
Ademais, continuou o relator, existe respaldo suficiente para justificar a apuração dos fatos, mediante a instauração da comentada ação penal. Nesse compasso, esmaece o argumento relativo a estar o então Tenente submetido a constrangimento ilegal perpetrado pela autoridade indigitada coatora.
“Nesta esteira, diante das circunstâncias, enfatizo que a apuração dos fatos em apreço, mediante a instauração da citada APM, está sendo conduzida de forma isenta e imparcial, sobretudo, com observância dos Princípios Constitucionais regentes, medida que perfaz o interesse legítimo do Estado”, fundamentou o ministro Marco Antônio de Farias.
Por unanimidade os demais ministros do STM acolheram o voto do relator e mandaram prosseguir a ação penal contra o tenente na 2ª Auditoria Militar do Rio de Janeiro. fonte: STM
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

01/07/2016 - Falsos oficiais do exército são presos em Castanhal

Patrick Siqueira da Costa, 22, Joaquim Diego, 21, e Fabiele Castro Santos, de 22 anos, se passavam por oficiais do Exército Brasileiro (EB) e, na manhã de ontem, acabaram presos na cidade de Castanhal, nordeste paraense. Os três receberam voz de prisão dada pelo comandante do Tiro de Guerra (TG) de Castanhal, durante um evento de formatura que acontecia no TG. Patrick se apresentou como tenente, mas acabou desmascarado pelo comandante do Tiro de Guerra, que percebeu que as divisas de Patrick não eram condizentes com as da função. Patrick Siqueira, Joaquim Diego e Fabiele Castro foram conduzidos à delegacia do centro de Castanhal, onde foram apresentados para a delegada Ariane Magno Gomes, da Polícia Civil. Na delegacia, Fabiele e Joaquim alegaram terem sido vítimas e acusaram Patrick de ser o golpista. Segundo eles, o falso tenente cobrou valores na promessa de ingressá-los na corporação. O pai de Fabiele pagou o valor de R$ 9 mil e Joaquim mais R$ 10 mil ao acusado. Nos telefones celulares dos falsos militares do Exército Brasileiro foram encontradas fotos deles três juntos fardados em estabelecimentos públicos. Patrick e Joaquim disseram serem moradores de Belém. Fabiele disse ser moradora de Igarapé-Açu, município do nordeste do Estado. Os três foram autuados por crimes de falsidade ideológica, usurpação de cargo público e associação criminosa. O Exército do Brasil vai investigar para tentar descobrir como e de quem os acusados conseguiram adquirir os uniformes.Fonte: Rotacastanhal
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

29/06/2016 - C-767 é o novo avião de transporte da FAB

Boeing 767, que foi arrendado pela Força Aérea Brasileira, está pronto para ser entregue e receberá a matrícula 2900.
Está pronta a mais nova aeronave da Força Aérea Brasileira. Designado como C-767, o Boeing 767 arrendado pelo Brasil foi finalizado por uma empresa americana e deve seguir para a base aérea do Galeão nos próximos dias. Com a numeração 2900, o novo avião de transporte da FAB é uma solução temporária após a aposentadoria dos KC-137, os famosos “sucatões”.
Na FAB, eles será responsável por diversas funções “como troca do contingente militar brasileiro que atua nas missões de paz no Haiti e no Líbano, o eventual transporte de delegações e contingentes militares nos Jogos Olímpicos Rio 2016, resgate de nacionais em áreas de conflito, atividades científicas e humanitárias”, disse o comunicado da Aeronáutica no início do mês.
A aeronave alugada pela FAB por três anos e renovável por mais um foi fabricada em 1992 e voou em três companhias. Foi entregue nova para a Martinair Holland onde voou por quase 20 anos. Em 2013, foi usada pela empresa grega SkyGreece Airlines onde teve uma curta passagem pela Air Madagascar. Com o fim das operações da SkyGreece, o 767 estava parado desde agosto do ano passado.
De acordo com a FAB, o 767 foi um investimento de US$ 20 milhões e a meta é utilizar o avião durante os Jogos Olímpicos, em agosto.
Programa KC-X2
A chegada do C-767, no entanto, não resolve a necessidade da Força Aérea Brasileira em ter em seu inventário um avião próprio para transporte e reabastecimento aéreo, previsto no programa KC-X2. A licitação para adaptação do mesmo modelo Boeing 767 para o padrão KC-767, capaz de reabastecer aviões em voo, foi vencida pela empresa IAI, de Israel, em 2013, mas não há previsão de quando o governo federal assinará o contrato que prevê a conversão de três aeronaves.
Enquanto isso, apenas o lento C-130 Hercules está apto a reabastecer os caças atualmente.fonte: Ricardo Meier-AIRWAY
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

27/06/2016 - Capitão do Exército e dois civis são condenados por retirada e comercialização ilegal de madeira nobre

A Auditoria Militar de Curitiba condenou um capitão do Exército e dois empresários por extração ilegal de madeira da área da 2ª Companhia do 5º Batalhão de Suprimento, localizada em Palmeira (PR). Eles foram condenados pelo crime de peculato-furto, previsto no artigo 303 do Código Penal Militar. A conduta do capitão também foi enquadrada nos artigos que tratam de crime continuado e coautoria. O militar foi condenado à pena de mais de 11 anos de reclusão, com a pena acessória de inabilitação para o exercício de função pública pelo prazo de dez anos. Aos civis foi imposta a pena de sete anos e dois meses de reclusão. Pela denúncia, o capitão, que era comandante da Companhia, determinava e autorizava o corte das árvores e negociava a venda ilegal do produto com os madeireiros da localidade, entre eles, os dois outros acusados. Parte muito reduzida da madeira foi beneficiada e destinada à Companhia, porém a grande maioria do produto foi comercializada, rendendo ao capitão renda bem acima do que ele ganhava por mês no Exército. Provas colhidas junto à Secretaria da Receita Federal demonstraram variação patrimonial a descoberto, referente ao ano-calendário de 2004, indicando assim enriquecimento ilícito por parte do oficial do Exército. No período de 2002 a 2007, o movimento financeiro de sua conta foi de quase R$ 600 mil, sendo que sua remuneração no mesmo período ficou em torno de R$ 178 mil. O relatório diz que o rendimento do trabalho assalariado do militar representou apenas cerca de um terço dos valores que transitaram na sua conta bancária, sendo a grande maioria daqueles valores fruto de depósitos em cheque, depósitos em dinheiro e transferências eletrônicas. Em sua defesa, o capitão disse que tinha autorização do Ibama para derrubar oito árvores da espécie Araucária, que segundo ele seriam utilizadas em benfeitorias para a Companhia. Porém a autorização tinha validade apenas para o período de junho a agosto de 2002 e o Inquérito Policial Militar demonstrou que ele não retirou as árvores na época que a autorização vigorava, somente depois do prazo estabelecido; como também excedeu e muito à quantidade de árvores derrubadas. Segundo relatório, a autorização do Ibama permitia a execução, mas não a comercialização, tendo sido as árvores escolhidas previamente. “Saliente-se, porém, que só dessa espécie vegetal foram extraídas, por determinação do primeiro acusado, mais de 80 árvores da área da União, além de um grande número de Eucalipto e Pínus”. O laudo do Ibama indica que foram cortadas 88 Araucárias, com idade estimada superior a 50 anos; 1.070 Eucaliptos, com idade estimada superior a 35 anos; e 607 Pínus, com idade estimada em 16 anos à época do corte. A extração foi realizada nos anos de 2003 e 2004. O prejuízo material causado ao patrimônio da União foi estimado em mais de R$ 420 mil. Da decisão, ainda cabe recurso ao Superior Tribunal Militar, em Brasília (DF).  fonte: STM
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

24/06/2016 - Militar do Exército reage a assalto e é morto com quatro tiros no Bairro Parati

Elton Cézar Roveri, de 21 anos, foi morto a tiros na noite de ontem, ao reagir a um assalto, na Rua Hiran José Horn, no bairro Parati em  Campo Grande-Ms. Elton era soldado do Exército Brasileiro. Segundo a Polícia Civil, Elton, a namorada e dois amigos estavam em frente da casa de um deles fumando narguilé. Dois rapazes, aparentando serem adolescentes, chegaram no local, armados, e anunciaram assalto. Os criminosos queriam os celulares das vítimas. A namorada de Elton e os amigos entregaram, mas o soldado se recusou a dar o aparelho e acabou lutando com um dos assaltantes. Os dois foram parar no outro lado da rua quando o criminoso atirou quatro vezes contra Elton. O soldado foi atingido na cabeça, nádegas, tórax e virilha. Ele foi socorrido por um dos amigos até o Hospital Regional, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Policiais fizeram buscas, mas até agora os assaltantes não foram encontrados. O crime será investigado. foto: reprodução/fecebook fonte: correiodoestado
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

24/06/2016 - SpotMini é uma nova versão menor do robô Mancha


Fantástica tecnologia SpotMini é uma nova versão menor do robô Mancha, pesando 55 lbs pingando (65 lbs se você pode incluir seu braço.) SpotMini é totalmente elétrico (sem sistema hidráulico) e é executado por cerca de 90 minutos em uma carga, dependendo do que é fazendo. SpotMini é um dos robôs mais tranquilas que já construídos. Ele tem uma variedade de sensores, incluindo câmeras de profundidade, um giroscópio de estado sólido (IMU) e sensores de propriocepção nos membros. Estes sensores ajudaão com a navegação e manipulação móvel. SpotMini executa algumas tarefas de forma autônoma, mas muitas vezes usa um ser humano para orientação de alto nível. Para mais informações sobre SpotMini é apenas um dos mais variados existentes visite  website em fonte: www.BostonDynamics.com
confira no video :

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

23/06/2016 - Governo brasileiro comemora assinatura de acordo entre Colômbia e as Farc

O Ministério das Relações Exteriores divulgou uma nota, nesta quarta-feira (22), parabenizando o governo da Colômbia pelo acordo bilateral de cessar-fogo definitivo firmado com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia-Exército do Povo (FARC). O governo brasileiro classificou a medida como um "passo fundamental para o fim da violência e a pacificação definitiva da Colômbia, que representa uma vitória para todos os colombianos e um motivo de júbilo para a região como um todo". O Itamaraty lembrou ainda a importância da participação do governo cubano nas negociações de paz. A assinatura do acordo entre a Colômbia e as Farc deve acorrer nesta quinta-feira (23) na capital de Cuba, Havana. Fonte: Portal Brasil, com informações do Ministério das Relações Exteriores.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

22/06/2016 - CMA esclarece que onça abatida no Cigs não foi a mesma do evento da tocha

Segundo o CMA, a onça-pintada exibida ao lado da Tocha Olímpica não foi a abatida ‘Juma’ e sim o mascote ‘Simba’ - foto: Ivo Lima/Ministério do Esporte Segundo o CMA, a onça-pintada exibida ao lado da Tocha Olímpica não foi a abatida ‘Juma’ e sim o mascote ‘Simba’ – foto: Ivo Lima/Ministério do Esporte O Comando Militar da Amazônia (CMA) divulgou na manhã desta quarta-feira (22) uma nota esclarecendo que a onça-pintada protagonista do evento da passagem da tocha olímpica por Manaus, na última segunda-feira (20), foi a ‘Simba’, mascote do Centro de Instrução de Guerra na Selva (Cigs), unidade do Exército Brasileiro que sediou o evento, e não a ‘Juma’, conforme vem sendo amplamente divulgado pela mídia local e nacional.
 O segundo animal foi abatido com um tiro de pistola após tentar atacar um de seus tratadores, no momento em que era conduzido para a jaula. A nota informa ainda que a onça-pintada ‘Juma’, mascote do 1º Batalhão de Infantaria de Selva (1ºBIS), estava, por coincidência, no Cigs no mesmo dia do evento, para realização de revisões e cuidados da saúde.
 O caso vem gerando grande comoção e repercussão nas redes sociais e na mídia em geral desde que foi divulgado, ainda na segunda-feira. Tanto que ganhou destaque na edição de ontem do Jornal Nacional, da rede Globo, e em vários sites de notícias pelo mundo.
  O fato também motivou a Organização Não Governamental de Proteção, Adoção e Tratamento Animal (Pata) a organizar, para o próximo sábado (25), uma manifestação em repúdio ao procedimento que tirou a vida do animal. O protesto vai acontecer na frente do CMA, na estrada da Ponta Negra, na Zona Oeste da cidade.
 A presidente da Pata, Joana Darc, diz que a manifestação não será contra o Exército e sim contra a prática de expor animais silvestres em eventos de qualquer natureza.
 Uma página com a hashtag #SomostodosJuma foi criada no Facebook para que as pessoas confirmem presença no protesto.
Já o Comitê Organizador da Rio 2016 emitiu nota nesta terça-feira (21) dizendo que errou ao permitir a exibição de uma onça durante a passagem da tocha olímpica em Manaus e que o episódio não irá repetir.
 “Erramos ao permitir que a Tocha Olímpica, símbolo da paz e da união entre povos, fosse exibida ao lado de um animal selvagem acorrentado. Essa cena contraria nossas crenças e valores. Estamos muito tristes com o desfecho que se deu após a passagem da tocha. Garantimos que não veremos mais situações assim nos Jogos Rio 2016”, diz o texto da organização, publicado no Twitter.

 A nota do CMA continua ressalta que “o Exército, a partir de suas unidades mantenedoras da fauna amazônica, sempre seguiu e sempre seguirá todas as condições legais previstas pelos órgãos competentes defendendo a bandeira da preservação da onça-pintada da Amazônia, que já é uma questão levada a sério pelo Exército Brasileiro e que a sociedade precisa saber, para no futuro não corrermos o risco de ter essa espécie em extinção”.

 E segue afirmando que as ações de todo militar do Exército no bioma amazônico é baseado no lema: “servir na Amazônia é um privilégio. Lutar pelo seu desenvolvimento sustentável, uma obrigação”. foto: Ivo Lima/Ministério do Esporte.  Por equipe EMTEMPO Online
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

21/06/2016 - Polícia recupera veículo roubado no Brasil à serviço da Marinha Boliviana

Durante operação policial na linha da fronteira com a Bolívia no final da manhã deste sábado (18), agentes do DOF (Departamento de Operações de Fronteiras) apreenderam um veículo roubado no Brasil, com caracterização da Marinha Boliviana.
De acordo com informações da polícia, durante fiscalização dos veículos que saim de Corumbá, os policiais abordaram um veículo Ford F250, cor prata, com placas bolivianas. O automóvel estava com adesivos da Marinha Boliviana e era conduzido por Ever Inarico Gomes, de 23 anos, que se apresentou como militar.
Em vistoria no chassi e motor, foi constatado que o automóvel era produto de roubo na cidade de Curitiba, no Paraná, no dia 16 de janeiro deste ano. As placas originais também eram de Curitiba.
O caso foi registrado como recuperação de veículo objeto de roubo na delegacia de Corumbá. fonte: Clayton Neves-midiamax
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

21/06/2016 - 'Operação Ágata 11' já apreendeu R$ 1 milhão em madeira ilegal em RR

Operação ocorre desde o dia 13 de junho em toda a fronteira de Roraima. Ação visa coibir crimes fronteiriços e levar serviço social à comunidades.fonte: Inaê Brandão G1 Rr. A 11ª edição da operação Ágata, realizada pelo Exército Brasileiro, continua ocorrendo em toda a área de fronteira de Roraima e já apreendeu mais de R$ 1 milhão em madeira ilegal, desde o seu início, ocorrido no dia 13 de junho. O G1 acompanhou, nesta segunda-feira (20), um dia da operação. Veja galeria de fotos. Segundo o assessor de Comunicação da 1ª Brigada, major Rodrigo Luiz, em uma semana de ações, a ´Operação Ágata 11´ apreendeu 2 mil m³ de madeira no Sul de Roraima, sete balsas utilizadas para garimpo ilegal, destruiu quatro áreas de garimpagem e uma pista de pouso na Terra Indígena Yanomami. Além disso, nesta segunda-feira (20) dois fugitivos do sistema prisional foram capturados em barreiras terrestres do Exército, onde cerca de três mil veículos já foram fiscalizados. Além do Exército, outros 16 órgãos de segurança colaboram com a Ágata, entre elas a Polícia Militar, Polícia Federal, Funai, Ibama e Anac. ´Operação Ágata 11´ A ´Operação Ágata 11´ busca intensificar a presença do estado Brasileiro junto às faixas de fronteira, para contribuir no combate de ilícitos como o narcotráfico, contrabando e descaminho, tráfico de armas e munições, crimes ambientais, contrabando de veículos, imigração ilegal e garimpo ilegal. ´Braço forte´ O 1º tenente do Exército Rafael Lima, comandante do primeiro Pelotões Especiais de Fronteira (PEF), explicou que o Exército possui duas frentes de ação. Uma chamada ´braço forte´, que visa coibir a prática criminosa, e a ´mão amiga´, que leva serviços de assistência para comunidades. Durante a Ágata, as ações contra as práticas criminosas ocorrem com bloqueios terrestres nas estradas que levam aos países que fazem fronteira com o Brasil e também por meio da patrulha fluvial. Na sede do exército em Bonfim, ao Norte de Roraima, a patrulha fluvial ocorre no rio Tacutu, que marca a fronteira entre o Brasil e a Guiana. O subcomandante do primeiro PEF, Rodrigo Braga explicou que durante a operação a patrulha é feita diariamente. "Os crimes mais comuns aqui pelo rio são o contrabando e o descaminho, sobretudo de roupas, alho e alguns outros materiais. Também fazemos apreensão de drogas e existem casos de tráfico de pessoas, mas em menor quantidade", disse Braga. ´Mão amiga´ Nesta segunda, a comunidade do Jabuti, na região da Serra da Lua, foi alvo de uma ação social do Exército. A localidade que fica há 50 km do município do Bonfim, recebeu assitência médica, odontológica, farmacêutica, vacinação antirrábica, ações educativas e recreativas. O líder indígena da comunidade, Andrade da Silva Tomás, disse que os atendimentos são importantes para as moradores, especialmente o odontológico. A dona de casa Adriana Ribeiro, de 42 anos, mora em uma vila há 20 km da comunidade e foi de ônibus até a Jabuti para ser medicada. "Tenho um problema no braço e há quase um ano não consegui tomar o remédio que preciso. Vim aqui porque é mais perto e consegui receber a medicação", disse. Segundo Andrade, cerca de 500 pessoas moram na comunidade que tem como principal fonte de subsistência o plantio de mandioca para a producão e venda de farinha.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - Onça-pintada morre ao ser baleada após fuga no Cigs

JUMA -Mascote do 1º BIS, onça-pintada morre ao ser baleada após fuga no Cigs
Onça Juma foi morta após tentar atacar militar, disse o Comando. Processo administrativo irá apurar os fatos. Felino participou da cerimônia de apresentação da Tocha Olímpica no Cigs
A onça-pintada conhecida como “Juma”, que escapou da sua jaula no zoológico localizado dentro do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS) na manhã desta segunda-feira (20), morreu após ser baleada com tiro de pistola. A informação foi confirmada pelo Comando Militar da Amazônia (CMA). Segundo o CMA, o animal teria avançado em um militar após ser resgatado e precisou ser abatido. A onça participou da cerimônia de apresentação da Tocha Olímpica no Cigs nesta manhã. De acordo com a coronel Evelyn, chefe da 5ª Seção de Comunicação do Comando Militar da Amazônia, do Exército Brasileiro, o felino fugiu no momento em que era recolocado na jaula. "Ela fugiu de fato. Ela fazia parte da apresentação (da Tocha Olímpica), mas escapou muito depois (da passagem) da Tocha”, disse Evelyn.
Segundo nota emitida pelo CMA no final da tarde, uma equipe de militares composta de veterinários especializados no trato com o animal foi resgatá-lo. “O procedimento de captura foi realizado com o disparo de tranquilizantes. O animal, mesmo atingido, deslocou-se na direção de um militar que estava no local. Como procedimento de segurança, visando a proteger a integridade física do militar e da equipe de tratadores, foi realizado um tiro de pistola no animal, que veio a falecer”, informou a nota do Comando.
O CMA informou, ainda, que já determinou abertura de processo administrativo para apurar os fatos.

Revezamento
No evento de revezamento dentro do Cigs, os condutores da tocha interagiram com o animal, considerado o mascote do 1º Batalhão de Infantaria de Selva (1º BIS Amv). Eles passaram pelo zoológico do Cigs, seguiram para uma área de selva e acompanharam simulações de sobrevivência.
Segundo a coronel Evelyn, no momento que seria levada para a jaula, a onça-pintada escapou e teve que ser alvejada com um tranquilizador. “Após o evento, no momento em que a onça foi guardada, ela escapuliu da sua segurança. Teve que tomar um tranquilizante. Ela partiu pra cima de um dos militares e teve que ser alvejada com tranquilizante”, disse a militar.
A Tocha Olímpica vem fazendo passagem por Manaus desde ontem, domingo (19), quando percorreu 39 quilômetros de trajeto pela cidade, passando por ruas e avenidas principais e também pontos turísticos como a Ponta Negra e o Teatro Amazonas. fonte: Oswaldo Neto e Vinícius Leal Manaus (AM)-acritica
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - A cavalo, militares verificam 22 marcos de fronteira em área de difícil acesso no Pantanal

 Trabalho conjunto com Comando do 6º Distrito Naval.
Durante Operação Ágata 11, militares do Exército Brasileiro realizam patrulhas para verificação de 22 marcos de fronteira, que delimita o território brasileiro com a Bolívia.

Este reconhecimento de fronteira, na região do Pantanal Sul-Mato-Grossense, é uma operação militar que emprega o uso de equinos devido à impossibilidade do uso de viaturas e embarcações. 
A 3ª Companhia de Fronteira - Forte Coimbra (3ª Cia Fron/F Coimbra) tem sob sua responsabilidade aproximadamente 200 km de fronteira.
Os marcos de fronteira normalmente são usados para marcar pontos críticos na linha de fronteira entre estados ou subdivsões e em sua maioria são feitos de pedra ou betão e colocados em pontos notáveis ou especialmente visíveis do terreno. É também comum que tenham informação inscrita com a identificação dos territórios em cada lado e uma data de colocação. fonte: Danielle Valentim-midiamax
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - Soldado do 11º RC Mec morre após disparo acidental em Ponta Porã

Ontem (19) o Soldado Lima de 21 anos lotado no 11º RC MEC em Ponta Porã divisa com o Paraguai morreu após levar um disparo acidental de uma pistola Beretta 9mm dentro do quartel. Segundo informações repassadas ao site Brasiguaionews o mesmo estava fazendo manutenção das armas antes de partir para a operação ‘Ágata’ que está sendo realizada nas fronteiras com o Paraguai para coibir o tráfico de drogas e armas na região.
De acordo com informações preliminares a pistola foi carregada e outro soldado que não foi divulgado o nome teria disparado acidentalmente contra a integridade do SD Lima que não resistiu aos ferimentos e faleceu. O Exército até o momento não divulgou nenhuma nota sobre o caso. o SD Lima era do assentamento Itamarati e servia o exército brasileiro em Ponta Porã onde residia no quartel e no final de semana retornava a sua casa, era casado e tinha filhos, entrou no quartel em 2014 e em 2015 se tornou soldado profissional enganjado. fonte: Shakin Nunes-brasiguaionews
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - Troca da guarda presidencial é atração cultural em Brasília

Realizada a cada seis meses, a cerimônia marca o revezamento de duas unidades militares históricas na segurança dos palácios e residências oficias da presidência da República.
Duas tropas militares especiais fazem a segurança dos palácios e residências oficiais do presidente da República. Para se revezar nesta missão, a cada semestre o batalhão da Guarda Presidencial e o 1º Regimento de Cavalaria de Guardas realizam a cerimônia de Troca da Guarda.
Na troca desta quinta-feira (16), com a presença de civis e autoridades militares, o Batalhão da Guarda Presidencial (BGP, o Batalhão Duque de Caxias) substituiu o 1º Regimento de Cavalaria de Guardas (Regimento de Dragões da Independência) na segurança da sede do Executivo Federal. A guarda envolve a responsabilidade pela segurança das instalações do Palácio e de todos que estão nele, além da função cerimonial.
A cerimônia pode ser acompanhada de perto pelos brasilienses e turistas a partir da Praça dos Três Poderes. Simultaneamente, ocorre também a troca das guardas nos Palácios Alvorada e Jaburu e na Granja do Torto. fonte: planalto.

Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - EpcAr em Barbacena passa a receber meninas em curso de formação

Das 180 vagas, 20 serão para garotas entre 14 e 19 anos. As inscrições já foram encerradas; provas serão em julho.
A Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EpcAr), em Barbacena, vai admitir, pela primeira vez, meninas em todos os anos do ensino médio em seu Curso Preparatório de Cadetes do Ar (CPCAR), a partir de 2017. Das 180 vagas, 20 serão para meninas entre 14 e 19 anos. Mais de cinco mil meninas se inscreveram
Segundo o coronel Aviador da EpcAr, José Aguinaldo Moura, a instituição precisou se preparar tanto na infraestrutura quanto em recursos humanos para receber as novas alunas. “A escola é integral e os alunos moram em alojamentos. Vamos fazer uma ala especial para meninas e aumentar os banheiros. Também vamos precisar de oficiais femininos, principalmente na área de psicologia, para amparar essas meninas novas que saem de casa e vem para cá para uma atividade mais especifica”, explica o Coronel.
Os alunos fazem os três anos do ensino médio na EpcAr, transformando-se em cadetes, para ingressarem no Curso de Formação de Oficiais Aviadores da Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga.
Meninas de Juiz de Fora procuram cursinhos para estudar para as provas. O conteúdo é o mesmo para os meninos que concorrem às vagas: português, matemática, redação e inglês. Já o teste físico para as meninas é diferenciado e um pouco mais fácil. As inscrições já foram encerradas e as provas serão em julho. As aprovadas ingressam na escola no ano que vem. fonte: G1 Zona Da Mata
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

20/06/2016 - Temer devolve aos comandantes militares os poderes que Dilma retirou


Está previsto para hoje o anúncio de que o presidente interino Michel Temer devolverá aos comandantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica as atribuições que lhes foram retiradas pela presidente afastada Dilma Rousseff com o Decreto 8.515 de três de setembro do ano passado, que trata da direção e gestão de cada uma das forças armadas.
Ao Ministro da Defesa, em prejuízo dos comandantes militares, Dilma delegou, entre outros poderes, o de transferir para a reserva remunerada oficiais superiores, intermediários e subalternos, reformar oficiais da ativa e da reserva, promover oficiais a postos superiores e até nomear capelães militares. E o pior: os comandantes militares não foram consultados sobre o decreto.
O decreto produziu tal irritação entre oficiais superiores das três forças que Dilma, uma semana depois, acabou recuando em parte de sua decisão. Assinou uma retificação ao decreto dizendo que o Ministro da Defesa poderia subdelegar aos comandantes militares os poderes que ela havia lhe conferido. Ocorre que o Decreto 8.515 contraria a Lei Complementar 67, de 1999.
A lei dispõe que os comandantes exercerão a direção e a gestão da respectiva força (art. 4º, com a redação da LC 136/2010). Assim, Dilma não poderia delegar ao ministro competência que lei atribui aos comandantes. “O ministro não pode subdelegar competências que não poderia ter recebido por delegação, pois elas são dos comandantes”, observa o ex-ministro da Defesa Nelson Jobim.
Temer revogará o decreto e a retificação assinados por Dilma. fonte: Ricardo Noblat
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp
18/06/2016 - Satélite de alta resolução do Ministério da Defesa

18/06/2016 - Satélite de alta resolução do Ministério da Defesa

Para os Jogos Entra no ar, semana que vem, um satélite de alta resolução do Ministério da Defesa encomendado especialmente para a segurança da Olimpíada no Rio. Seu grau de precisão é de...meio metro.  Direto da Fonte-Sonia Racy.
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

17/06/2016 - Exército diz que tanques na fronteira não têm ligação com morte

De acordo com informações do exército brasileiro, os tanques vistos nas ruas de Ponta Porã, na noite desta quarta-feira (15), depois do cenário de guerra não seria por causa do assassinato do narcotraficante Jorge Rafaat Toumani, próximo ao Mercado Municipal, de Pedro Juan Caballero.
Segundo informações oficiais, o exército está na fronteira por causa da Operação Ágata, que teve início nesta segunda-feira (13) em toda a extensão fronteiriça do território brasileiro. “Caso seja necessário a presença do exército um planejamento ainda será feito neste sentido”.
As ruas de Ponta Porã se tornaram cenário de um verdadeiro filme de guerra, nesta quarta-feira (15), quando o narcotraficante Jorge Rafaat Toumani foi assassinado a tiros de fuzil quando saia de seu escritório na cidade do Paraguai.
Um grupo de pessoas fuzis AK 47 e Mag antiaérea e metralhadoras atacaram o narcotraficante, que morreu e outras pessoas ficaram feridas. Os suspeitos estariam em três veículos.

No local, além de centenas de capsulas de projéteis, a polícia também encontrou armas de grosso calibre, tais como fuzis e 50, todos de posse militar, que furaram a blindagem do Jipe Hummer, do mesmo modelo utilizado pelo exército dos Estados Unidos. Nele, estava Jorge Rafaat Toumani, vítima fatal. Vários outros ficaram feridos, dentre eles um policial identificado como Jorge Espindola. fonte: Thatiana Melo - midiamax
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

16/06/2016 - Soldado do Exército de 19 anos morre após cair de moto no SIA

Ele foi atendido pelo Corpo de Bombeiros mas morreu no local.

  A moto CG era guiada pelo soldado do Exército Luiz James Oliveira Tavares, 19 anos morreu após cair da moto no trecho 4 do SIA em Brasilia-DF, por volta das 17h13 desta quarta-feira (15/6) que foi atendido pelo Corpo de Bombeiros mas morreu no local. Até agora, não há informações sobre o motivo da queda dele. fonte: CB
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

16/06/2016 - Militar da Marinha reage a assalto em São Gonçalo e mata dois suspeitos

Um militar da Marinha reagiu a um assalto na manhã desta quarta-feira, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, e matou dois dos suspeitos que o renderam. O caso ocorreu no bairro da Covanca. Segundo policiais militares do 7º BPM (Alcântara), o militar passava de moto, uma Honda XRE 300, pela Rua Doutor Porciúncula quando foi rendido por quatro homens que estavam num Gol preto.
Dois deles desceram, pegaram a moto do militar e fugiram nela. Os outros dois suspeitos trocaram tiros com a vítima e acabaram mortos a tiros. O militar nada sofreu. Uma réplica de fuzil que estava com os bandidos foi apreendida. O caso seguiu para registro na 73ª DP (Neves).
Ao EXTRA, o militar contou que estava a caminho do trabalho, por volta das 7h, quando foi interceptado.
- Eles mandaram que eu deixasse a moto. Fiquei muito tenso porque estava armado e não queria confronto. Então deitei a moto no chão e corri. Nisso dois deles saíram com a moto. Os outros dois foram no carro me acompanhando - disse.
Ainda de acordo com a vítima, um dos criminosos apontou a réplica de fuzil em sua direção:
- A todo momento eles diziam que me matariam. Consegui me esconder atrás de um poste, saquei minha arma e atirei.
O militar criticou a violência no Estado do Rio.
- Sou do Piauí. Mas moro em São Gonçalo há vinte anos. Esse foi meu primeiro assalto. Mas, de um tempo para cá, venho mudando a minha rotina por causa dessa violência. Não saio mais à noite. É de casa para o trabalho e do trabalho para casa. Só saio com a família na parte da manhã - relatou.
Antes de assaltarem o militar, os bandidos haviam iniciado um arrastão no bairro Santa Catarina, na Rua Arthur Bernardes, próximo ao novo fórum. Uma das vítimas, uma operadora de caixa de 26 anos, disse que estava indo trabalhar quando foi abordada pelo grupo:
- Eles apontaram uma arma para mim e me xingaram muito. Mandaram entregar a bolsa, celular e o pouco dinheiro que eu tinha. Eles estavam muito doidos e fediam a vodca.
Uma estudante, de 24, também vítima, tentou correr quando viu a outra mulher ser assaltada, mas acabou sendo alcançada pelos homens, que levaram todos os seus pertences. fonte: Ana Carolina Torres e Ricardo Rigel - extra
Postado Por: Éder Pr- http://militaresbrasil.blogspot.com
SE GOSTOU COMPARTILHE:
Compartilhe no WhatsApp

Papo Verde Oliva

Pesquisar

NOTÍCIAS DO SITE

Total de visualizações de página

Insira o seu endereço de email, É GRÁTIS

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

OBRIGADO PELA INSCRIÇÃO

FIQUE BEM INFORMADO - AS MAIS LIDAS